Arquivo da categoria: música

Há um céu suficientemente grande

Anúncios

love, love, love

Impressionante a quantidade de cenas memoráveis em Across The Universe. Difícil escolher uma única, mas o momento em que Jude volta para a América e canta All You Need is Love para Lucy é de uma pieguice capaz de catapultar no limbo qualquer coração beatlemaníaco:

Cagando em clássicos

Tô publicando no meu tumblr uma lista (eterna, imagino) de Beatles Covers. Numas de googlar o assunto, encontrei o que deve ser a PIOR COVER DOS BEATLES ou algo muito próximo disso. Candy Flip canta Strawberry Fields Forever. Não dê o play:

Muitos assuntos, um único post

Marcelo Costa, que não erra quando indica o que quer seja, elogia o novo disco do Wado, em seu blog. Destaco as mesmas favoritas dele, mas Melhor é o repeat da vez por aqui. Entra lá e baixa.

* * *

“Quem ficar com o olho preso nas letrinhas, além de enjoar, vai perder todos os relances mais importantes, não vai ver nada, não vai aproveitar nada. Aceite meu conselho: deixe de ser esnobe e vá ver uma versão dublada. Você não entende inglês mesmo que eu sei.”

Melhor dica pra quem for ver Cloverfield, que é sen-sa-cio-nal, mas eu sou sempre suspeito com filmes onde Nova York é invadida por qualquer COISA que foda com tudo. E o monstro de Cloverfield é, definitivamente, a COISA mais absurdamente espetacular que já invadiu a cidade.

* * *

 Juno

Juno é, muito provavelmente, o filme do ano. Embora não tenha a força de “Onde os fracos não têm vez” e embora eu não tenha visto “Sangue Negro” – Paul Thomas Anderson é um dos favotitos por aqui. E ainda estamos em fevereiro, veja só.

E mais: melhor pôster do ano, junto com Cloverfield.

* * *

Lost parece mesmo ter a fórmula perfeita: todo mundo reclama (eu, inclusive) das inúmeras novas dúvidas de cada episódio, da falta de respostas, dos personagens escolhidos para morrer e da enrolação (agora ainda maior com os flashforwards), mas ninguém deixa de assistir. Eu, muito menos.

* * *

Vez ou outra, fico viciado em algum desses jogos em flash. O da vez: Cannonball Follies 2.

* * *

“Woody Allen é reconhecido como um dos melhores cineastas de todos os tempos. Mas ele acaba de dar um passo rumo à imortalidade. Seu novo filme, ‘Vicky Cristina Barcelona’, terá uma cena de sexo entre Penelope Cruz e Scarlett Johansson. Impossível ser melhor que isso.”

Reafirmo.

Dá o play e chora, #01

Contribuindo com o conceito de colaboração da web 2.0, upei Guaxo, da genial Dona Helena Meirelles para youtube.

Rendendo-me ao hype

Como se fosse realmente possível não se encantar com uma garota de 15 anos tocando Folsom Prison Blues.

Etiquetado

Kate Nash

Kate Nash

Bonita desse jeito, seria até pecado se não cantasse bem.

tudo é mero lamento

Três vídeos de três músicas que há semanas estão no repeat do mp3:

Terminal Guadalupe, Pernambuco chorou

Lascíva Lula, Pra matar a fome

Pública, Long Plays