Arquivo da categoria: literatura

Batalha sangenta na Teodoro Sampaio

Impressão minha ou esse André Vianco é uma espécie de Paulo Coelho from hell?

Dois irmãos

Dois Irmãos, Milton HatoumHá o odio que Omar sente por Yaqub. Desmesurado, descabido e incalculável. E há o modo como Yaqub suporta o ódio que sente por Omar. O mesmo ódio. Exatamente o mesmo ódio, visto por duas personalidades diferentes, embora gêmeas. E há Nael, o personagem-narrador, que por vezes parece observar tudo como um simples futriqueiro. Mas é mais profundo. Não acho que ele procure nos gêmeos só a resposta sobre qual deles é seu verdadeiro pai. Procura identificar que exemplo deve seguir. Ou não. Porque o mais bonito do livro é notar o quanto Nael consegue se desvenciliar de toda a cadelice da família, formar-se homem e tornar-se forte.

Das histórias mais bonitas que já li.

Brooklyn

… pasmei na Times Square! É a 25 de março num ataque de epilepsia brava. Imagina soltar o Kassab aqui! Tudo é outdoor. Tudo pisca e se move. Mas pisca mesmo!

 

O link aí do lado, mas eu reitero aqui. O genial Lourenço Mutarelli está escrevendo um blog com suas impressões sobre Nova Iorque, onde passa uma temporada buscando inspiração para seu romance a ser publicado pelo projeto Amores Expressos.

um pouco menos de amor

 

Eu gostaria de que as pessoas que, para seguir as convenções, declaram que se amam dissessem umas às outras quando brigassem: – Por favor… um pouco menos de amor e um pouco mais de respeito mútuo.

Kurt Vonnegut, no prólogo de Pastelão ou Solitário, nunca mais.