Arquivo mensal: julho 2007

Não vi graça

Piadinha esperta essa, da vida nos fazer acreditar no jogo das possibilidades e pularmos de cabeça na piscina vazia.Não caio mais.

"você vai escrever sobre isso no blog"

O orkut costumava ser mais subjetivo em minha “sorte de hoje”. Antes eram frases do tipo: “A felicidade virá de longe”, “Você tem em você o que você procura” ou ainda “Com calma você notará: há alguém ao seu lado”. Agora o guru de plantão é absurdamente objetivo. Ontem, por exemplo, garantia que em poucos dias eu estarei recebendo uma carta. Hoje é ainda mais nostradâmico ao profetizar: “Você vai ganhar roupas novas”.

Então não se esqueçam: camisa M e tênis tamanho 41, por favor.

"Embriagado, Wojtyla avança papa-móvel contra fiéis"

Definitivamente o melhor post de todos os tempos.

Podem parar a blogosfera. Aliás, parem desde março de 2005, data do post. Obrigado.

Pena

Como assim, porra? Chama o Zé Roberto!

Jaqueline, ponta e oposto musa da seleção feminina de vôlei, de quem já falei por mais de uma vez aqui no blog, foi cortada por doping, em exame que apontou a presença de sibutramina em seu sangue. Com sua ausência, restam as presenças da seleção feminina de softbol e de Bia e Branca Feres, as sensacionais gêmeas do nado sincronizado, representantes de toda astúcia e beleza do esporte tupiniquim.

Plano b

Isso aqui anda uma chatice só. Blogs largados, posts pretensiosos, erros de

1996

Engraçado como algumas vinhetas de programas televisivos ainda utilizam o jurássico som de discagem do modem para fazer analogia à internet.

Tv Digital

A Cult desse mês traz enfim um texto esclarecedor sobre TV Digital. O professor da USP e da Cásper Líbero Laurindo Lalo Leal Filho pincela possíveis desvantagens e oportunidades que surgirão quando o sistema for implantado (previsto para Dezembro, somente para São Paulo):

As perspectivas não são muito animadoras. Há fortes indícios de que uma tecnologia, como a da TV digital, capaz de impulsionar a democratização da oferta televisiva, venha a ser apropriada pelos mesmos grupos que sempre controlaram o setor. São empresas operadoras de um serviço público atuando estritamente nos limites da lógica comercial, determinada pela maximização dos lucros. Nessa linha, a possibilidade do uso ampliado do espectro reduz e a diversidade da programação ficará, outra vez, posta de lado.

Ou seja, tecnologia favorecendo mercado e não telespectador. O que fica mais claro ainda nesse outro trecho:

Dentro da mesma lógica, deverá ser operada a outra novidade trazida pela TV digital: a interatividade ampla. A nova tecnologia abre a possibilidade de integrar à Internet os milhões de aparelhos receptores de televisão em uso no país. Para isso, são necessários conversores a preços acessíveis e a reserva de áreas do espectro para esse tipo de serviço. A tendência, observada a lógica comercial, será a introdução de uma interatividade simples, capaz apenas de facilitar a venda mais rápida dos produtos anunciados pelas redes de TV. Se isso de fato ocorrer, estará consagrado o uso medíocre de uma tecnologia altamente sofisticada.

Isso é um fator realmente lamentável. Disponibilizar interatividade apenas para facilitar em vendas. como é o caso da SKY, que, embora possua em sua programação interativa um canal de jogos, utiliza-se do recurso em canais de lojas como Submarino e Americanas.com onde, de modo sofrível, é possível efetuar compras pela TV (imagine-se digitando o endereço da sua casa pelo controle remoto).Resta esperar até a implantação do sistema escolhido e torcer para que haja diversidade e guia de programação na tela. É o mínimo.