Arquivo mensal: julho 2005

Criança diz cada uma

Vítor, sobrinho que passa os finais de semana aqui na casa dos meus pais, sempre que corre para atender o telefone grita desesperado para o aparelho “Péra, já vai”. Na insistência do toque, repete mais alto ainda “Calma, tô chegando”.

O garoto é ainda autor do seguinte petardo interrogativo: “Se a terra fosse quadrada as pessoa teria cabeça quadrada, tio?”

Anúncios

Aponta pra fé e rema

Lembro que na época do lançamento de Ventura, 3º disco do Los Hermanos, a maioria das resenhas do álbum citava o fato dos cariocas terem “conseguido novamente”, fazendo referência ao ótimo trabalho de estréia da banda e ao aclamado 2º disco, Bloco do Eu Sozinho.
E realmente não há outra coisa pra se pensar ouvindo 4, 4º disco do barbudos. Percebi que tem gente fazendo cara feia, falando que os caras mudaram radicalmente e que o disco é complicado. Tsc. Bando de índio. Citam também que o disco é triste, mas disso ninguém discorda, oras. Ouça e perceba que é a conclusão mais óbvia que se pode chegar, principalmente nas músicas de Camelo. Em Pois É, pra ficar só num exemplo, ele canta E ao amanhã a gente não diz / E ao coração que teima em bater, lembrando Todo Carnaval Tem Seu Fim: Mas o dia insiste em nascer.
O disco tem várias músicas ótimas: Sapato Novo, É de Lágrima (destaque para sensacional virada aos 2´30´´), O Vento – que eu cheguei a criticar aqui – Morena, Paquetá, Dois Barcos, Fez-me Mar, Horizonte Distante, Condicional
É, pode acreditar. Eles conseguiram novamente.

Apelo disfarçado

Acho engraçado que agora Robinho venha exigir sua transferência para o Real Madrid, apelando para Fifa, após ter o pedido de intervenção da CBF negado. O jogador argumenta que por ter direito a 30% da multa contratual de 50 milhões de dólares, a obrigação dos Santos é aceitar os 30 milhões de dólares oferecidos pelo time espanhol e liberá-lo. Bôa, Robinho. Pena que segundo o mesmo contrato assinado por você em 30 de Agosto de 2004, ou seja, menos de um ano atrás, e com validade até 30 de janeiro de 2008, tal solução poderia sim ser legal caso a diretoria do Santos concordasse com a transferência, o que os mesmos já deixaram claro que não. E outra: tava na hora mesmo dessas questões contratuais e Lei Pelé funcionarem. Lei Pelé que garante inclusive, em seu artigo 28, que NÃO HÁ limite de valor para multas contratuais em casos de transferências internacionais. Se ferrou, negão.

Então cara, abaixa a bola e vai treinar. Mesmo porque, santista nenhum aguenta uma dupla de ataque formada por Basílio e Giovane.

Pop dos bão


Toda Cura Para Todo Mal, novo do Pato Fu.

O Vento

E aí, todo mundo também achou a música nova do Los Hermanos bem meia-boca?

Anima

Dei uma passada no AnimaMundi 2005. Nunca tinha ido numa das edições anteriores e nessa resolvi dar uma olhada por ser a menos de 15 minutos do trabalho e pelo preço acessível, R$ 5 numa sessão com cerca de 10 curtas. Acabei assistindo a coletânia de curtas nº 4, apenas uma das 21 disponíveis na mostra competitiva. Devo voltar amanhã e ver alguma outra.
Dos que vi, gostei muito de Born to be Alive, curta francês que detalha as vãs tentativas de um gato cabeção de cometer suícido. Personagem inacreditável, o gato. E um dos grandes favoritos pra escolha do público, com certeza.


Frog

Frog é insuportalvelmente engraçado. Poucas vezes ri tanto numa sala de projeção. Imperdível e simples de tudo – lápis sobre papel – o curta explora os momentos mais agitados da vida do sapo. De rir sozinho, lembrando horas depois.


Louise

Outro ótimo também é Louise. Singela rotina de uma velhinha enquanto aguarda a visita dos bisnetos. Segundo o site do Anima, a velhinha, uma belga de 96 anos, não só existe como é também avó da autora do filme. Imperdível.

Pra que tá em São Paulo, a mostra ainda vai até domingo, dia que também rola a premiação. Acontece no Memorial da América Latina. Preços ridículos e diversão garantida. Grade de programação aqui.

Cadê o final, Spielberg?

Guerra dos Mundos é bom sim. Tem lá duas ou três sequências de inclinar a poltrona, mesmo que por puro apelo visual, mas dá uma puta impressão de que Spielberg ficou com preguiça de terminar o filme. Ô finalzinho bunda.

E tem outra coisa: excluam todas as explosões e invasões alienígenas e temos um conflito familiar digno de um episódio de Dawsons Creek. Com destaque para Dakota Fanning, por mais que eu odeie crianças prodígios.

Padronizem a legenda amarela

Serei criador e mentor da Campanha Nacional pela Padronização da Legenda Amarela. Perco em média 20% dos diálogos quando filmes têm a maldita legenda branca. Cinemas deveriam, no mínimo, criar sessões específicas para legenda amarela. O cartaz informaria, além de horário e censura, também a cor da legenda. Mas não acredito que alguém goste de legenda branca. Impossível. Então, sejamos práticos, Padronização Já!

Cozinha prática

Bem simples e nada original. Pega teu cereal matinal preferido – recomendo aquelas bolinhas de chocolate – e uma tijela, obviamente proporcional ao tamanho da larica. Daí é só fazer camadas intercalando cereal e leite condensado, sem economizar nesse último, pra gororoba não ficar seca. Indica-se também que a última camada seja sempre de cereal, nunca de leite condensado. Vai fazer diferença, acredite.

Após o fracasso em Atenas…

Daiane dos Santos garante estar se adaptando rápido ao voleibol de quadra. “Era uma mudança necessária”, confessou ao Assertivo.