Declínio

Amou a mesma mulher a vida toda. Teve o mesmo carro, fez compras no mesmo supermercado. Releu várias vezes o mesmo livro. Transou sempre com a mesma puta. Ia sempre ao mesmo motel, tanto com a puta quanto com a pobre esposa. Nunca trocou de assinatura. Sequer modificou um fio no corte de cabelo escolhido pela mãe. Pescava sempre as mesmas tilápias. Foi sempre um escriturário padrão. Pontualidade controlada por um relógio que ganhara do pai muito tempo atrás. Quando o pulso alargou, trocou a pulseira.

Enterrou pai e mãe no mesmo cemitério. Teve dois filhos, um com a puta e outro com Cleide, a pobre esposa. Ao mais velho, filho da prostituta, deu o nome de Fábio. Ao mais novo também.

O supermercado faliu, o carro deu perda total na mão de Cleide. Começou ficar careca. Foi demitido. Perdeu o gostou pela pescaria. Ignorava a puta.

Sua vida estava sim uma merda.

Suicidou-se no dia em que roubaram seu relógio.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: